Como saber se meu funcionário está motivado?

Como saber se meu funcionário está motivado?

Motivação é a palavra chave para um bom desempenho. Mas nem todos os líderes sabem lidar bem com esse tema. Geralmente recebo gestores querendo contratar meus serviços para “motivar a equipe dele”. Minha resposta é sempre a mesma: “motivação vem de dentro, não de fora”.

Mas existem algumas dicas para você avaliar o nível motivacional de sua equipe. Por exemplo:

O desempenho de seu colaborador está abaixo do que você espera? Avalie primeiro se ele tem conhecimentos suficientes para desenvolver aquela atividade. Depois o acompanhe e o treine para que ele adquira habilidade. Na sequência avalie se ele se sente bem realizando aquela atividade. Pois são coisas que passam desapercebidas e as vezes somente são vistas como falta de treinamento.

Outra coisa importante para avaliar o nível de motivação de seu colaborador: Pergunte a ele quais são seus sonhos, quais são suas metas, de curto, médio e longo prazo. Depois peça para que eles reflitam sobre o que seu emprego significa para ele. Busque entender se ele percebe o emprego como algo que o aproxime do sonho, ou se ele percebe o emprego somente como algo que supre uma necessidade dele.

Legal também você perguntar o que ele mudaria se pudesse estar no seu lugar. As vezes ele tem várias melhorias que podem ser aplicadas para que possa melhorar as condições para realização de seu trabalho.

Bom, o importante é nunca perder de vista as necessidades e sonhos de seus colaboradores, por que quando isso acontecer, pode ter certeza que ele também jé terá perdido de vista as prioridade e desejos da empresa.

Até onde uma empresa deve insistir no desenvolvimento de um colaborador?

Até onde uma empresa deve insistir no desenvolvimento de um colaborador?

Nós sabemos que as pessoas necessitam de desenvolvimento constante para atingir boa performance numa empresa, mas já parou para pensar até onde a empresa deve ou não investir num colaborador?

Pois bem, essa conversa que teremos será a mais franca possível. Não quer dizer que seja o certo, mas quer dizer que é algo em que eu acredito muito.

Eu acredito no capital humano. Minha carreira toda foi desenvolvida em cima de entender sobre os motivadores humanos e em formas assertivas de desenvolvimento de novas competências e novos comportamentos.

Mas existe um ponto onde a empresa ou o gestor precisa se atentar.

O ponto é: será que aquele colaborador quer ser desenvolvido?

Independente da metodologia ou da carga horária de um treinamento, o ponto chave é se o colaborador tem o objetivo de se desenvolver, e o porque ele quer se desenvolver.

O que vemos em muitos casos, é que a empresa assume total responsabilidade para desenvolvimento de sua equipe, mas nem todos querem ser desenvolvidos.

Quando um colaborador não quer ser desenvolvido você ouvirá frases como essas: “A esse treinamento de novo” ou “isso eu já sei” ou ainda “vocês vão pagar horas extras por esse tempo que terei que ficar aqui neste treinamento”.

Tome cuidado com o investimento em treinamento. Faça-o sempre que o puder, pois seu negócio depende dessa estratégia. Mas não jogue dinheiro fora com quem não quer ser desenvolvido. Será uma frustração tanto para você, quanto para ele.