Nós sabemos que as pessoas necessitam de desenvolvimento constante para atingir boa performance numa empresa, mas já parou para pensar até onde a empresa deve ou não investir num colaborador?

Pois bem, essa conversa que teremos será a mais franca possível. Não quer dizer que seja o certo, mas quer dizer que é algo em que eu acredito muito.

Eu acredito no capital humano. Minha carreira toda foi desenvolvida em cima de entender sobre os motivadores humanos e em formas assertivas de desenvolvimento de novas competências e novos comportamentos.

Mas existe um ponto onde a empresa ou o gestor precisa se atentar.

O ponto é: será que aquele colaborador quer ser desenvolvido?

Independente da metodologia ou da carga horária de um treinamento, o ponto chave é se o colaborador tem o objetivo de se desenvolver, e o porque ele quer se desenvolver.

O que vemos em muitos casos, é que a empresa assume total responsabilidade para desenvolvimento de sua equipe, mas nem todos querem ser desenvolvidos.

Quando um colaborador não quer ser desenvolvido você ouvirá frases como essas: “A esse treinamento de novo” ou “isso eu já sei” ou ainda “vocês vão pagar horas extras por esse tempo que terei que ficar aqui neste treinamento”.

Tome cuidado com o investimento em treinamento. Faça-o sempre que o puder, pois seu negócio depende dessa estratégia. Mas não jogue dinheiro fora com quem não quer ser desenvolvido. Será uma frustração tanto para você, quanto para ele.