Você faz a empresa que trabalha dar Lucro?

Você faz a empresa que trabalha dar Lucro?

Estranha essa pergunta não? Eu, ter que fazer a empresa que eu trabalho dar lucro? Imagina isso…. Eu quero é receber meu salario no final do mês e eles que se virem!

Pois é, saibam que muitos profissionais pensam desse jeito, e o mais estranho é que estas pessoas são as mesmas que reclamam por falta de reconhecimento. Sabendo disso vamos entender um pouco mais o funcionamento de uma empresa para podermos avaliar melhor nossas ações?

Bom em tese uma empresa existe para dar lucro. Ninguém quer arriscar, empreender para nada. Por isso quando você perceber que a margem de Lucro da sua empresa é alta, que ótimo! Fique feliz, isso significa que seu salario estará garantido mais um tempo.

Infelizmente, a maioria dos profissionais se entristecem quando ficam sabendo que seu patrão comprou uma casa nova, trocou de carro ou foi viajar. Bobagem, fique tranquilo se isso estiver acontecendo na empresa. Porém, cuidado se seu patrão não tiver um gato preto para puxar pelo rabo, se você perceber que a margem de lucro da empresa é muito pequena, ou que você percebe que os clientes estão indo para a concorrência.

Precisamos saber qual o diferencial da empresa que trabalhamos e assim onde podemos ajudar a potencializar esse diferencial.

Numa situação de crise quem você acredita que permanece no trabalho, quem tem muita experiência e conhecimento ou quem faz a empresa ter maior lucratividade? Acertou, a segunda opção sem sombra de dúvidas.

Agora vamos avaliar nossa postura na empresa que trabalhamos. Ficamos felizes quando a empresa está cheia de serviço ou nós reclamamos, pois vamos ter mais horas extras para fazer e talvez ficar até muito mais tarde no trabalho? Quando um cliente pede desconto preferimos argumentar em cima da qualidade do produto, ou vamos imediatamente no gerente dizendo que precisamos de mais desconto para poder fechar a venda? Avalie sua postura, reflita, pois provavelmente isso será seu diferencial no futuro para manter ou não a sua competitividade no mercado de trabalho.

Tatiane Souza

Responsabilidade Compartilhada

Responsabilidade Compartilhada

Sabemos da importância de uma política salarial tanto para a empresa quanto para os Colaboradores. A saúde do negócio está nas mãos de seus colaboradores, e por isso, a política salarial para remuneração dos mesmos necessita ser pensada de maneira correta e inteligente. A segurança para essas pessoas pode ser um grande diferencial, porém o que a grande maioria dos profissionais buscam, é a possibilidade de desenvolvimento e melhoria continua.

A liderança por sua vez, também possui um grande papel para retenção de talentos dentro de uma organização, pois os mesmos fazem a ponte direta no que se refere as expectativas da empresa e as expectativas de seus colaboradores. Uma gestão correta faz com que essa relação se torne o mais sadio possível, obtendo melhores dos resultados.

As empresas precisam realmente buscar seu autodesenvolvimento através do desenvolvimento de seus colaboradores, e assim atingir o sucesso e o grande diferencial competitivo que o mercado busca incessantemente.

Em suma, as empresas estão se adaptando as exigências do mercado e formando sua própria mão de obra, por isso os salários iniciais geralmente são de funções básicas. Após o treinamento é que percebemos gradativamente uma evolução salarial.

Funções como: Serralheiro, Marceneiro, Montador, são pequenos exemplos de funções que as empresas por si só estão buscando treinar internamente.

As empresas estão percebendo que não podem simplesmente cruzar os braços e culpar os Órgãos públicos pela falta de qualificação do mercado, porque a situação de qualquer maneira não se resolverá do dia para noite. Perceberam que precisam sim de um diferencial competitivo para sua empresa e que este diferencial competitivo está na Gestão correta de seus talentos.

 

Tatiane Souza

Como se comportar em festas de final de ano

Como se comportar em festas de final de ano

Final de ano: época que muitas empresas realizam a tradicional festa de confraternização que reúne colaboradores, parceiros, fornecedores e até clientes.

O evento, criado para celebrar os resultados alcançados e promover a integração entre os colaboradores, pode se transformar em uma enorme dor de cabeça. Por isso é preciso tomar alguns cuidados:

Roupas – Não é preciso usar os trajes formais do ambiente de trabalho, mas cuidado na escolha. Atenção com os decotes, comprimento, transparências. Apesar de ser um momento de descontração, todos os chefes e diretores estarão na festa.

Bebidas – Cuidado especial: É indicado beber com moderação para evitar ressacas psicológicas.

Família – Os cônjuges, filhos e outros parentes só devem ir à festa se a empresa permitir.

Danças – Mesmo que você seja um ótimo dançarino, não exagere nas coreografias.

Discrição – Nas festas de final de ano da empresa, a regra básica é discrição. Economize nos gestos e evite reclamar da empresa e dos colegas.

Troca de presentes – Muitas empresas realizam os tradicionais amigos secretos junto com a festa de confraternização. Na hora de revelar o amigo, evite piadinhas que possam expor a intimidade do colega.

Oportunidade – As confraternizações oferecem ótimas oportunidades para quem quer estreitar a relação de amizade com os colegas de trabalho, inclusive com o chefe. Porém, nada de puxar saco. O comportamento deve ser natural, sem forçar a barra. Lembre-se que a festa é uma ótima oportunidade para fazer networking.

 

Tatiane Souza

Sonhos, realização profissional e crescimento Pessoal

Sonhos, realização profissional e crescimento Pessoal

Sonhos, realização profissional e crescimento Pessoal estão alinhados em uma única vertente: O sucesso!

Você ainda sonha? Sonha com o que? Qual sua meta principal de vida? Você se sente uma pessoa realizada? E o seu crescimento Pessoal como anda?

Resumindo, depois dessa autoanálise vamos aos fatos: Poucas pessoas sonham. Estatísticas mostram que as pessoas preferem se prender ao passado do que pensar ou até mesmo sonhar com seu futuro. Outra informação que temos é que a maioria dos profissionais não gostam do que fazem, por isso fazem mal, e isto lhes oferece um resultado e um crescimento pessoal lamentável.

Precisamos estar atentos as nossas convicções e saber que o que acreditamos realmente trará nossos resultados. Eu não posso mascarar algo do tipo: “A carreira que escolhi para minha vida, foi minha melhor escolha. Ela me oferece grana e prestigio, e isso é suficiente para mim”. Hum… se isso realmente for suficiente, problema nenhum, mas se por atrás dessa mascara você se corrói pensando que poderia ter agido diferente, ter tido outra escolha, cuidado.

Inconscientemente você fará de tudo para as coisas darem errado e você poder realmente voltar e pensar no que te trará maior realização verdadeira. Nossa mente funciona a todo momento contra nós quando tentamos mascarar a verdade. Nossas convicções modelam nosso futuro, mesmo aquelas que tentamos esconder embaixo do colchão.

Precisamos acima de tudo ser sinceros com nós mesmos. Se algo está errado ou não está tão bom quanto gostaríamos precisamos ser autossuficientes para mudar a situação. Isto automaticamente nos proporcionará um crescimento pessoal imensurável, e nos trará uma realização pessoal a altura. Precisamos muito mais de perguntas em nossa vida, do que respostas.

O segredo maior do sucesso está no questionamento sincero e não na melhor maneira que podemos encontrar para obter respostas que justifiquem mentiras para nós mesmos. Pense nisso e sucesso!!!

Tatiane Souza

Sucesso e Felicidade andam juntos?

Sucesso e Felicidade andam juntos?

Ultimamente, muito se tem falado em felicidade nos ambientes Organizacionais. Principalmente a geração mais nova (que ganhou vários nomes, mas aqui vamos chama-los de Geração Y e Z), que atrela Sucesso profissional a fazer o que gosta.

Estou escrevendo um Livro ao qual ainda não defini o nome, mas que trata do conceito CHAVE de Sucesso, que quer dizer: (C) Conhecimento, (H) Habilidade, (A) Atitude, (V) Valores e (E) Engajamento. Para se ter sucesso no âmbito profissional é preciso estudar, adquirir experiência, ter comportamentos compatíveis com seus objetivos, mas principalmente, é necessário fazer aquilo que colabora com o que você acredita, com seus valores, e justamente por isso encontrar um local para que você possa realizar todos os seus objetivos é muito importante. As vezes pensamos no local de trabalho como sendo empregados de alguém. O local não precisa necessariamente ser de outra pessoa, pode ser o seu local, a sua empresa. Se o local onde você trabalha não lhe traz felicidade, os outros quatro fatores do CHAVE não farão sentido. Por para atingir o sucesso você precisa de Engajamento. Exemplo: Quem quer ficar trabalhando varias horas por dia, fazendo o que não gosta, para comprar o que não precisa?

Não adianta, o funcionamento da nossa motivação parte de nossos princípios, nossos valores. Quando fazemos algo que reforce nossos valores ficamos felizes, quanto fazemos algo que nos distancia de nossos valores, não sentimos prazer. E prazer tem a ver com produtividade, desempenho. Uma pessoa que faz o que não gosta, e essa mesma pessoa não tem objetivos, seu desempenho é afetado, e ela entrega abaixo do que poderia; se uma pessoa faz o que não gosta, mas que aquela atividade contribui e muito para o atingimento de seus objetivos, o desempenho deste profissional fica dentro da média. Se uma pessoa faz o que gosta e sua atividade contribui para a obtenção de seus sonhos, essa pessoa tem seu desempenho muito acima da média.

Não adianta escolher profissão não pensando em sua felicidade, pois pense que seu desempenho está intimamente ligado a ela.

Sucesso!!!

 

Tatiane Souza