Você é Talentoso ou Esforçado?

Você é Talentoso ou Esforçado?

Tem uma definição sobre mim, que sempre me acompanhou, e que vinha me incomodando muito. Em todos os projetos que atuo, quase sempre ao final deles é unanime: Tati, como você é esforçada! Parabéns!

O que eu queria ouvir era: Tati que talento você tem para desenvolver as coisas! Parabéns!!!

Porque para mim a pessoa Esforçada sempre foi aquela pessoa “Feia” porém “Arrumadinha”.

Para que eu contextualize e você possa também refletir sobre a sua própria definição de Esforço e Talento, vou falar um pouco sobre a minha visão sobre isso.

O que seria uma pessoa Talentosa?

Uma pessoa que nasceu com habilidades distintas das demais pessoas, que a faz ter um brilho diferente, um resultado diferente, porque praticamente todos já sabem de longe que ela nasceu para aquilo.

O que seria uma pessoa Esforçada?

Uma pessoa esforçada, seria uma pessoa que nasceu com habilidades limitadas, porém com muita vontade. Essa vontade a faz persistir (persistir não insistir) em seus projetos, e isso a faz ter resultados muito bons.

Quando digo persistir e não insistir, digo porque acredito que a persistência te faz buscar caminhos alternativos para atingir um objetivo, e a insistência te faz continuar fazendo a mesma coisa, esperando um resultado diferente.

Bom, voltando ao nosso assunto, eu sempre quis ser vista como uma pessoa Talentosa, e isso me fez durante muito tempo ficar insistindo nisso, quando me dei conta, que era meu perfil de Esforçada que estava me ajudando a realizar os meus objetivos.

Uma habilidade, um Talento, que eu negava com unhas e dentes.

Que coisa estranha acontecesse conosco né? Buscamos a todo custo ser aquilo que não somos, e quando nos damos conta, aquilo que somos é que nos permite continuar.

A partir do momento que eu consegui mudar minha percepção sobre o assunto, eu realmente me aceitei como sou, consegui perceber que eu poderia ir mais além ainda.

Não é fácil, obstáculos, limitações, medo, insegurança. Mas hoje cada vez que ouço de alguém: Tati como você é Esforçada. Eu mesma internamente digo: Parabéns! Está mandando muito bem!!!

E você? É Talentoso ou Esforçado?

Busca por Propósito

Busca por Propósito

Não sei se você percebeu, mas o assunto “Propósito” vem sendo cada vez mais discutido. Assisti ontem “Emoji: O Filme”, e percebi que a temática central da história também foi sobre Propósito.

Antigamente eu entendia Propósito como Objetivo, e mais recentemente percebi que os dois assuntos são coisas bem distintas.

A pergunta que pode estar fazendo é: Por que você percebeu isso?

Bom, vamos lá: Ando passando por uma grande crise existencial (mais isso é segredo nosso tá?). Venho desenvolvendo muitos projetos, atingindo várias metas pessoais e profissionais, mas ainda com um grande buraco, a falta de algo que até então não sabia o que poderia ser.

Venho participando de muitos treinamentos, conhecendo muitas pessoas diferentes, buscando várias alternativas de autoconhecimento.

Comecei a acompanhar (principalmente nas mídias sociais) algumas pessoas, como fonte de inspiração, e um dia desses eu me perguntei: Bom, peraí, por que esta pessoa me inspira? Por que eu gosto de ouvi-la? De acompanhar seu dia a dia?

Percebi que todas elas, tinham características muito distintas, porém um grande ponto em comum: Tinham clareza sobre seu Propósito com a habilidade de declara-lo de maneira sincera, sem nenhum medo de julgamentos.

Parece fácil né? Foi o que eu pensei inicialmente.

Neste momento tive uma conversa muito sincera comigo mesma, e me perguntei: Tati qual é seu Propósito? Refleti sobre vários pontos importantes da minha vida e cheguei a quatro prioridades:  Ter independência financeira, para que o dinheiro não seja questão de sobrevivência, mas sim de contribuição; Ser lembrada por quem sou não pelo que tenho, através do meu legado e contribuição a vida das pessoas; Estar feliz durante a trilha não somente na linha de chegada, porque a vida é feita para ser vivida; Inspirar meus filhos através dos valores que norteiam minha vida, para que eles também queiram mudar o mundo.

Muito claro pra mim, mas não tão claro para as pessoas a minha volta. Neste momento percebi a diferença entre Objetivos e Propósito.

Estes pontos são grandes objetivos em minha vida, mas não meu Propósito, porque hoje entendo que Propósito é algo que independe da situação: se está bem ou mal, com dinheiro ou sem dinheiro, de bem com a vida ou não, com problemas ou sem problemas, o Propósito te acompanha e continua claro para as pessoas a sua volta.

Hoje busco com toda minha força atingir meus quatro grandes objetivos que falei acima, mas permaneço com a grande pergunta: Qual é meu Propósito neste mundo?

Se fizer sentido para você acompanhe meus canais de comunicação, e me ajude a identificar meu grande Propósito! Juro que também vou fazer o máximo para contribuir para você também descobrir o seu!

facebook/tatisouza.chaveparaosucesso

youtube/tatianesouza

linkedin.com/in/tatiane-souza-87554620

Como saber se meu funcionário está motivado?

Como saber se meu funcionário está motivado?

Motivação é a palavra chave para um bom desempenho. Mas nem todos os líderes sabem lidar bem com esse tema. Geralmente recebo gestores querendo contratar meus serviços para “motivar a equipe dele”. Minha resposta é sempre a mesma: “motivação vem de dentro, não de fora”.

Mas existem algumas dicas para você avaliar o nível motivacional de sua equipe. Por exemplo:

O desempenho de seu colaborador está abaixo do que você espera? Avalie primeiro se ele tem conhecimentos suficientes para desenvolver aquela atividade. Depois o acompanhe e o treine para que ele adquira habilidade. Na sequência avalie se ele se sente bem realizando aquela atividade. Pois são coisas que passam desapercebidas e as vezes somente são vistas como falta de treinamento.

Outra coisa importante para avaliar o nível de motivação de seu colaborador: Pergunte a ele quais são seus sonhos, quais são suas metas, de curto, médio e longo prazo. Depois peça para que eles reflitam sobre o que seu emprego significa para ele. Busque entender se ele percebe o emprego como algo que o aproxime do sonho, ou se ele percebe o emprego somente como algo que supre uma necessidade dele.

Legal também você perguntar o que ele mudaria se pudesse estar no seu lugar. As vezes ele tem várias melhorias que podem ser aplicadas para que possa melhorar as condições para realização de seu trabalho.

Bom, o importante é nunca perder de vista as necessidades e sonhos de seus colaboradores, por que quando isso acontecer, pode ter certeza que ele também jé terá perdido de vista as prioridade e desejos da empresa.

Até onde uma empresa deve insistir no desenvolvimento de um colaborador?

Até onde uma empresa deve insistir no desenvolvimento de um colaborador?

Nós sabemos que as pessoas necessitam de desenvolvimento constante para atingir boa performance numa empresa, mas já parou para pensar até onde a empresa deve ou não investir num colaborador?

Pois bem, essa conversa que teremos será a mais franca possível. Não quer dizer que seja o certo, mas quer dizer que é algo em que eu acredito muito.

Eu acredito no capital humano. Minha carreira toda foi desenvolvida em cima de entender sobre os motivadores humanos e em formas assertivas de desenvolvimento de novas competências e novos comportamentos.

Mas existe um ponto onde a empresa ou o gestor precisa se atentar.

O ponto é: será que aquele colaborador quer ser desenvolvido?

Independente da metodologia ou da carga horária de um treinamento, o ponto chave é se o colaborador tem o objetivo de se desenvolver, e o porque ele quer se desenvolver.

O que vemos em muitos casos, é que a empresa assume total responsabilidade para desenvolvimento de sua equipe, mas nem todos querem ser desenvolvidos.

Quando um colaborador não quer ser desenvolvido você ouvirá frases como essas: “A esse treinamento de novo” ou “isso eu já sei” ou ainda “vocês vão pagar horas extras por esse tempo que terei que ficar aqui neste treinamento”.

Tome cuidado com o investimento em treinamento. Faça-o sempre que o puder, pois seu negócio depende dessa estratégia. Mas não jogue dinheiro fora com quem não quer ser desenvolvido. Será uma frustração tanto para você, quanto para ele.

Dicas de Entrevista

Dicas de Entrevista

O processo de seleção de uma organização, tem como principal objetivo colocar a pessoa certa, no cargo certo. Por isso, quase sempre mantem um mesmo padrão de investigação. Isso porque o profissional de Seleção precisa reunir o máximo de informações para ser o mais assertivo possível no momento da escolha do candidato.

Veja as 20 perguntas mais utilizadas em entrevista de emprego, para que você já possa ir se preparando. Não esqueça que essa relação deve servir para que você reflita sobre os motivos reais que aconteceram no decorrer de sua carreira. Não as utilize para criar respostas perfeitas, pois em hipótese alguma elas poderão o auxiliar num processo de seleção. A verdade sempre é a melhor escolha!

  1. Fale sobre você

Não existe regra. Cada entrevistador tem uma expectativa. No geral, o selecionador quer saber mais sobre você no âmbito profissional e também pessoal. Fale sobre coisas que você gosta de fazer, e relate um pouco sobre as atividades de desenvolvimento que tem buscado para seu aprimoramento.

  1. Quais são seus objetivos em curto prazo?
    Todo profissional precisa ter metas claras, para que possa ter energia o suficiente para se superar a cada dia. Metas de 6 ou 12 meses nos ajudam a manter o foco. É necessário entender sobre a empresa ao qual você esta passando pelo processo seletivo, para que avalie se realmente a proposta é significante para sua carreira. Pois o entrevistador fará esse link, logo após seus relatos. Tendo isso em mente, é só ser honesto.
  2. Quais são seus objetivos em longo prazo?
    Da mesma maneira que os objetivos de curto prazo são importantes para nossa motivação do dia a dia, nossos objetivos de longo prazo dão sentido a nossa vida. Sempre reavalie seus objetivos com muito critério, pois ele serão a base de nossas conquistas. Não confunda objetivos com sonho. Seja sempre muito realista ao determinar objetivos de longo prazo para você.
  3. Como você lida com as pressões do trabalho?
    É importante você avaliar como lida com pressões no seu dia a dia. Pois a partir dessa reflexão, você terá mais segurança ao escolher um trabalho. Se você não possui habilidades para lidar bem com pressão, precisa buscar funções que ao qual a pressão não é um integrante do dia a dia. Mesmo assim, saber lidar com pressão sempre acaba sendo um grande diferencial, principalmente neste cenário extremamente competitivo.
  4. Por que devemos contratá-lo?
    Dizer que você tem sede de aprender, de crescer profissionalmente e de contribuir com a empresa não é exatamente a resposta mais adequada para este questionamento.
    Você deve ser categórico ao expor como pode colaborar com o desenvolvimento da organização, e qual contribuição efetiva acredita que pode oferecer para a empresa.
  5. Como você poderá contribuir para o desenvolvimento e crescimento da empresa?
    Uma vez que você disse logo acima que pode colaborar com o desenvolvimento da organização, agora você precisa dar exemplos efetivos de como pretende oferecer essa contribuição. Não seja prolixo. Aqui quando mais detalhado for sua resposta, melhor.
  6. Quais foram suas maiores realizações profissionais?
    Agora cite exemplos de como você contribuiu com as organizações aos quais você ja tenha trabalhado. . Procure falar sobre as realizações mais relevantes em sua vida profissional que estejam atreladas às expectativas ou ao negócio da empresa.
  7. Quais são seus pontos fortes?
    Nada de ser redundante. Entenda profundamente quais são seus pontos fortes, pois esse será o momento ideal para falar sobre eles.
    Pergunte-se: o que os seus colegas de trabalho diriam positivamente de você? Pense em sua rotina profissional e escolha as qualidades que mais o definam no trabalho.
  8. Quais são os seus pontos a desenvolver?
    Ninguém é perfeito, e entenda que o entrevistador ja sabe que você também não é. Seja sincero ao falar de seus pontos fracos, mas deixe claro o que você tem feito para desenvolver esses pontos. Demonstre ao selecionador evolução. Isso é o que ele busca neste momento.
  9. Qual é o seu maior sonho?
    Para responder esta pergunta, preste realmente atenção as coisas que são extremamente importantes em sua vida. Respire e responda com muita sinceridade qual é seu maior desejo. Não precisa ter ligação com uma meta atingível, mas um desejo alinhado ao seus valores.
  10. Por qual motivo você saiu da empresa anterior?
    Diga os motivos pelos quais você precisou sair dos empregos anteriores, mas preze pela ética. Nada de falar mal da antiga empresa ou do chefe. Deixe claro que a decisão que você tomou, não foi por motivos pessoais.
  11. Por que ficou pouco tempo nos empregos anteriores?
    Ficar pouco tempo em um ou outro emprego nao tem problema algum. Agora ter um currículo ao qual você possui uma experiência a cada 6 meses, e no relato de motivos de saída você deixa claro que nenhuma dessas empresas oferecia as condições adequadas para você continuar, pode ser um grande problema que você terá de contornar. Para resolver esse problema, você terá que amando ou odiando permanecer em seu próximo emprego mais que dois anos. Isso para equilibrar os empregos anteriores de pouco tempo. Por isso pense bem antes de escolher uma vaga. Pois você terá que se dedicar muito para voltar a deixar seu perfil competitivo no mercado.
  12. Por que está há tanto tempo no emprego atual?
    Se você possui o perfil oposto, ou seja, sempre trabalhou no mesmo lugar, ou está a um bom tempo na mesma empresa, também pode se tornar um problema se nao souber equalizar essa situação. Deixe claro todos os pontos favoráveis que o mantiveram no seu atual emprego, mas também deixe claro qual esta sendo seu motivo de reavaliação. Demonstre segurança ao detalhar estes motivos, para que o entrevistador não entenda que você pode desistir da vaga no meio do processo seletivo.
  13. Você já recebeu críticas sobre o seu trabalho? Como reagiu?
    Críticas são sempre bem-vindas, pois nos ajuda a perceber os erros para não cometê-los novamente. Tente lembrar de uma critica bem dura que você tenha tomado, e o quanto ela te ajudou no processo de amadurecimento. Não vale falar que nunca recebeu uma critica, pois esse tipo de resposta sempre é visto de maneira bem negativa pelo entrevistador.
  14. O que você considera importante em uma empresa?
    Adoro essa pergunta, pois aqui é possível avaliar se o candidato possui ou não noção de realidade. Neste momento é importante você conhecer um pouco sobre a organização ao qual esta concorrendo a vaga. Se nao souber, pode ser o momento adequado para efetuar a pergunta inversa ao entrevistador. Mas lembre-se, nunca devolva uma pergunta com outra pergunta em um processo seletivo. Então primeiro diga o que você busca em uma organização, e só depois questione sobre a cultura da organização em questão.
  15. Como você se comporta no trabalho?
    Fuja do trivial: sou pontual, dedicado, comprometido, responsável, flexível e sei trabalhar em equipe. Poxa, toda empresa espera que o comportamento mínimo de um colaborador seja esse. Busque aqui ressaltar comportamentos bem pontuais que você possui perante uma situação profissional, tipo: Foco na resolução de problemas, viso resultados…
  16. Com que tipo de pessoa você prefere trabalhar?
    Cuidado! Num ambiente de trabalho precisamos estar preparados para lidar com todo tipo de pessoas, mas que claro que nos identificamos mais com alguns tipos. Ressalte qual o tipo de pessoas que prefere trabalhar, mas deixe claro que você é maduro o suficiente para conseguir se relacionar com qualquer tipo de profissional.
  17. Com que tipo de pessoa você encontra dificuldade em trabalhar?
    Pense em características que atrapalhem o clima da organização e acabam influenciando negativamente o rendimento no trabalho, e diga como você faz para se relacionar com essas pessoas, mesmo tempo mais dificuldades.
  18. Por que você escolheu essa carreira?
    Agora é o momento em que você dará sua cartada final. Aqui você precisa ser firme ao justificar sua escolha de carreira. Nada de falar que escolheu a carreira por falta de opção, ou por que você simplesmente seguiu o conselho de alguém. Seja protagonista da sua trajetória profissional.
  19. Como você se comporta quando algo não sai como planejou?
    Persistência. Aqui o entrevistador busca ter a certeza de que você correrá realmente atrás de seus objetivos, sem colocar a responsabilidade nas costas de ninguém. Quanto mais exemplos de situações em que você precisou dar a volta por cima para não desistir de algo que planejou melhor!

Por fim mas não menos importante, não esqueça de que quem faz as perguntas deve ser o entrevistador e não você. Fale nos momentos oportunos, e busque apenas responder o que o entrevistador lhe solicitou. Nada de ficar perguntando sobre horário de trabalho e benefícios. Esses profissionais que buscam primeiro saber  sobre seus direitos antes de entender seu deveres, não possuem vida longa em um processo seletivo. Entenda que antes de exigir algo, você precisa oferecer algo!

Tatiane Souza

 

Você já pensou em uma Previdência Complementar?

Você já pensou em uma Previdência Complementar?

Poucos profissionais dispõem de uma consciência voltada a educação financeira. Atualmente dentro de um consumo desenfreado por aquisição imediata de “coisas” – digo coisas porque depois de efetivada uma compra por impulso o próprio consumidor não sabe pra que serve o que ele acabou de adquirir – o profissional se vê altamente desmotivado com sua remuneração, uma vez que ele não consegue mais pagar todos os compromissos financeiros assumidos – não porque seu salário não foi reajustado ou porque a inflamação está absurda – ele não consegue mais pagar suas contas porque passou a consumir demasiadamente sem necessidade e principalmente sem planejamento. Hoje a visão de um jovem logo após conseguir um trabalho é resolver onde gastar o dinheiro que ele ainda nem ganhou. Ele já adquire uma dívida de 12 meses para pagar, quando não uma parcela ainda mais a perder de vista.

Planejamento financeiro hoje é um assunto altamente discutido no meio corporativo, uma vez que as empresas já não conseguem mais motivar seus funcionários somente com aumentos salariais, porque um aumento salarial hoje equivale a mais uma dívida assumida pelo funcionário amanhã, que reflete: “ Se estou ganhado mais, posso gastar mais”. A remuneração recebida para a maioria das pessoas nunca será suficiente, haja vista que não se consegue planejar o que fazer de maneira adequada com o dinheiro que recebe. O mercado de trabalho atual cada vez mais competitivo e exigente facilita profissionais despreparados no quesito do planejamento financeiro a refletir da seguinte maneira: “Trabalhar pra ganhar essa “mixaria” pra que? Vou é embora desse lugar e vou mandar meu chefe a P….Q….P….”.

Devido a essa falha da sociedade e inclusive da estrutura familiar – pois a maioria dos pais também não estão preparados para planejar seus investimentos financeiros – essa garotada aparenta ser cada vez menos compromissadas com suas carreiras e com as empresas que trabalham, quando na verdade o que falta é qualificação para planejamento de futuro.

Uma pesquisa realizada em 2011 (Towers Watson) com 198 companhias nacionais e multinacionais, revelou que, 79% dessas empresas oferecem benefícios para a aposentadoria de seus funcionários. Dessa maneira com programas de conscientização e planejamento de futuro, fazem com que seus profissionais não pensem somente no agora, mas também tenham um planejamento para o futuro.

Com o aumento da expectativa de vida, hoje mais do que nunca precisamos nos preocupar com o futuro. Podemos escolher em depender exclusivamente de uma Previdência Social oferecida pelo Governo – claro que através do próprio dinheiro que arrecadam de nós através dos impostos abusivos – ou planejar nosso futuro financeiro desde cedo, já prevendo que quando chegarmos na melhor idade, ou quando tivermos uma necessidade relacionada a problemas de saúde por exemplo, teremos garantido o nosso direito de sobrevivência. Precisamos  saber que através do pouco que podemos poupar  hoje, teremos mais garantida nossa segurança amanha. Reflita, vale a pena!

 

Tatiane Souza

Você já ouviu falar em Coaching?

Você já ouviu falar em Coaching?

Coaching é uma metodologia presente em grande parte do mundo e que tem como objetivo alcançar resultados pré-determinados, partindo de uma situação atual para uma situação desejada (foco nas realizações de metas e objetivos), através do desenvolvimento de competências.

Através de metodologia, técnicas e procedimentos, o profissional conduz o seu Coachee (nome dado ao aluno ou cliente no processo de Coaching) no desenvolvimento de competências, que se transformam em potencialidades com o propósito de alcançar objetivos reais. Tudo isso através de planejamento pessoal e profissional de curto, médio e longo prazo.

O Coaching de Carreira é responsável por provocar no Coachee uma evolução, estimulando e dando o apoio que ele necessita para que possa alcançar seus objetivos, obtendo assim os resultados que espera. Ajuda o profissional a construir uma visão melhor para assumir compromissos. Tem por objetivo enaltecer as qualidades e pontos positivos do cliente, realizando uma série de atividades e questionamentos para estimulá-lo a encontrar alternativas e soluções, para assim alcançar seus ideais e suas metas.

O Coaching Carreira auxilia os profissionais a descobrirem o que realmente desejam fazer com suas vidas, ajudando a desenvolverem uma estratégia para alcançá-las.

Você já formulou suas metas profissionais? Não? Corra então e comece agora mesmo, pois seu futuro precisa ter um alvo certo. O Sucesso!!!

Tatiane Souza

Você faz a empresa que trabalha dar Lucro?

Você faz a empresa que trabalha dar Lucro?

Estranha essa pergunta não? Eu, ter que fazer a empresa que eu trabalho dar lucro? Imagina isso…. Eu quero é receber meu salario no final do mês e eles que se virem!

Pois é, saibam que muitos profissionais pensam desse jeito, e o mais estranho é que estas pessoas são as mesmas que reclamam por falta de reconhecimento. Sabendo disso vamos entender um pouco mais o funcionamento de uma empresa para podermos avaliar melhor nossas ações?

Bom em tese uma empresa existe para dar lucro. Ninguém quer arriscar, empreender para nada. Por isso quando você perceber que a margem de Lucro da sua empresa é alta, que ótimo! Fique feliz, isso significa que seu salario estará garantido mais um tempo.

Infelizmente, a maioria dos profissionais se entristecem quando ficam sabendo que seu patrão comprou uma casa nova, trocou de carro ou foi viajar. Bobagem, fique tranquilo se isso estiver acontecendo na empresa. Porém, cuidado se seu patrão não tiver um gato preto para puxar pelo rabo, se você perceber que a margem de lucro da empresa é muito pequena, ou que você percebe que os clientes estão indo para a concorrência.

Precisamos saber qual o diferencial da empresa que trabalhamos e assim onde podemos ajudar a potencializar esse diferencial.

Numa situação de crise quem você acredita que permanece no trabalho, quem tem muita experiência e conhecimento ou quem faz a empresa ter maior lucratividade? Acertou, a segunda opção sem sombra de dúvidas.

Agora vamos avaliar nossa postura na empresa que trabalhamos. Ficamos felizes quando a empresa está cheia de serviço ou nós reclamamos, pois vamos ter mais horas extras para fazer e talvez ficar até muito mais tarde no trabalho? Quando um cliente pede desconto preferimos argumentar em cima da qualidade do produto, ou vamos imediatamente no gerente dizendo que precisamos de mais desconto para poder fechar a venda? Avalie sua postura, reflita, pois provavelmente isso será seu diferencial no futuro para manter ou não a sua competitividade no mercado de trabalho.

Tatiane Souza

Responsabilidade Compartilhada

Responsabilidade Compartilhada

Sabemos da importância de uma política salarial tanto para a empresa quanto para os Colaboradores. A saúde do negócio está nas mãos de seus colaboradores, e por isso, a política salarial para remuneração dos mesmos necessita ser pensada de maneira correta e inteligente. A segurança para essas pessoas pode ser um grande diferencial, porém o que a grande maioria dos profissionais buscam, é a possibilidade de desenvolvimento e melhoria continua.

A liderança por sua vez, também possui um grande papel para retenção de talentos dentro de uma organização, pois os mesmos fazem a ponte direta no que se refere as expectativas da empresa e as expectativas de seus colaboradores. Uma gestão correta faz com que essa relação se torne o mais sadio possível, obtendo melhores dos resultados.

As empresas precisam realmente buscar seu autodesenvolvimento através do desenvolvimento de seus colaboradores, e assim atingir o sucesso e o grande diferencial competitivo que o mercado busca incessantemente.

Em suma, as empresas estão se adaptando as exigências do mercado e formando sua própria mão de obra, por isso os salários iniciais geralmente são de funções básicas. Após o treinamento é que percebemos gradativamente uma evolução salarial.

Funções como: Serralheiro, Marceneiro, Montador, são pequenos exemplos de funções que as empresas por si só estão buscando treinar internamente.

As empresas estão percebendo que não podem simplesmente cruzar os braços e culpar os Órgãos públicos pela falta de qualificação do mercado, porque a situação de qualquer maneira não se resolverá do dia para noite. Perceberam que precisam sim de um diferencial competitivo para sua empresa e que este diferencial competitivo está na Gestão correta de seus talentos.

 

Tatiane Souza

Como se comportar em festas de final de ano

Como se comportar em festas de final de ano

Final de ano: época que muitas empresas realizam a tradicional festa de confraternização que reúne colaboradores, parceiros, fornecedores e até clientes.

O evento, criado para celebrar os resultados alcançados e promover a integração entre os colaboradores, pode se transformar em uma enorme dor de cabeça. Por isso é preciso tomar alguns cuidados:

Roupas – Não é preciso usar os trajes formais do ambiente de trabalho, mas cuidado na escolha. Atenção com os decotes, comprimento, transparências. Apesar de ser um momento de descontração, todos os chefes e diretores estarão na festa.

Bebidas – Cuidado especial: É indicado beber com moderação para evitar ressacas psicológicas.

Família – Os cônjuges, filhos e outros parentes só devem ir à festa se a empresa permitir.

Danças – Mesmo que você seja um ótimo dançarino, não exagere nas coreografias.

Discrição – Nas festas de final de ano da empresa, a regra básica é discrição. Economize nos gestos e evite reclamar da empresa e dos colegas.

Troca de presentes – Muitas empresas realizam os tradicionais amigos secretos junto com a festa de confraternização. Na hora de revelar o amigo, evite piadinhas que possam expor a intimidade do colega.

Oportunidade – As confraternizações oferecem ótimas oportunidades para quem quer estreitar a relação de amizade com os colegas de trabalho, inclusive com o chefe. Porém, nada de puxar saco. O comportamento deve ser natural, sem forçar a barra. Lembre-se que a festa é uma ótima oportunidade para fazer networking.

 

Tatiane Souza